O tempo das não-perguntas se cristaliza como idílio perdido.
Agora, tudo é dúvida e suspeita.
Ouço no rádio as notícias de minha terra natal.
Agora, sempre algo que não se fecha.
Esfera incompleta.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Cap. 68 - O Jogo da Amarelinha