poema 268

Em um recital de poesia
O único som que me desperta
É o dos ônibus em fúria 
Que rasgam as ruas 
E levam os mortos

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Cap. 68 - O Jogo da Amarelinha