poema 264

Na sombra laranja
novos verdes se formam

As cores do cerrado são esgarçadas e longas

Não há passos
no silêncio de araras


O homem descobre
que são poucas
suas coisas

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Cap. 68 - O Jogo da Amarelinha