poema 257


A ave nasce o dia
O cão põe o sol
O velho anda a noite
Aqui
As coisas se confundem em paz

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Cap. 68 - O Jogo da Amarelinha