poema 249

Corpos ausentes
Encarnam tensões pré-fabricadas

Antes o sorriso
Agora, a raiva

Almas sem ordens
Ou obrigações
Não param em pé...

A contemplação vive atrás das coisas
E o entendimento é dom de raízes

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Cap. 68 - O Jogo da Amarelinha