poema 245

Quiero escribir una poesia
Que a mi me guste
Que sea simples
Como o pássaro que o pai diz olha
E o filho vê...

Un poema
Cuja extensão se domine
Con una mirada...

Quero a fome de ar
Do mergulhador que retorna

Não quero um voar sem asas...
Peripécias linguísticas...

Não tenho tempo
E além do mais
Sou besta

Também não quero falar sobre poesia...
Não sou esperto pra isso
E me demoro tanto
Nos troncos retorcidos
E no vigor do sol...

E se brilho eu não tiver
Que minhas palavras contenham
A verdade de uma graminha....

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Cap. 68 - O Jogo da Amarelinha