poema 187

Pontos negros
planam lentos
acima.

A cada esfera
de azul
mais






lentos.


Abaixo
plumas passeiam
esboçando ruídos.

E ali
logo ali
naquele galho
condensa-se um pássaro:
é um bem-te-vi.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Cap. 68 - O Jogo da Amarelinha