O sol pintou as colunas da Catedral da Sé com as cores do vitral. Isso é belo. Os homens que forjaram esse vitral, que decidiram por ele e finalmente os homens que o instalaram, todos eles, reviveram bem nesse instante. Apenas a beleza perdura sem peso.

Comentários

André Toso disse…
Que coisa bonita, cara. Abraço.

Postagens mais visitadas deste blog

Cap. 68 - O Jogo da Amarelinha