poema 56


A beleza habita o passado
E procura uma forma de expressão

Assisto sua morte
Com um cigarro na boca
Enquanto uma câmera nos assiste
E uma canção nos embala

Todo o caos
            Pesado enquanto vive
É pluma para o futuro

Há uma única atmosfera em que todas as coisas se encontram

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Cap. 68 - O Jogo da Amarelinha