poema 50 ou pequena crônica


São rostos que dizem: não, o tempo não trouxe respostas / Bochechas caídas de cão amestrado / Passos cansinos a caminho de casa / Jaquetas puídas, sapatos desgastados / Homens e mulheres de todos os dias / Quererão coisas / Terão sonhos / E por isso a máquina se movimenta / Atropelando-se a si mesma / Renegando-se algumas vezes, amando-se outras / Ator desavisado que precisaria tornar-se expectador de si mesmo /  Um segundo que fosse / Perceber que, ao sabor do vento, desempenha comedias ou tragédias / Nunca realidades.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Cap. 68 - O Jogo da Amarelinha