por exemplos

Não sei como explicar, mas talvez se faça entender. Havia um gato preto na sala de estar de um dos apartamentos do prédio que há diante do meu. Por um segundo, duvidei se era real ou de cera ou de porcelana. Quando o borrão negro se moveu, apossou-se de mim um repentino vazio / Triste, eu dirigia o carro. Sentia-me despertencido de todas as coisas. Voltava da casa de um amigo. Minha cabeça, pesada que estava, boiava no ar enquanto durava o vermelho. Encontrou-se com a pálida luz branca que iluminava cabeças cansadas e sonolentas e sacolejantes. Misteriosamente acolhido, sorri para mim mesmo.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Cap. 68 - O Jogo da Amarelinha