Segunda Elegia

lida em um dia de sol

link para a Segunda Elegia: http://valentinadecrepax.multiply.com/reviews/item/18

  • Nos tempos remotos, os Anjos acompanhavam os homens em suas viagens. O que nos restam desses tempos? Os homens deixam para o futuro lembranças depuradas e limadas. Que sabemos de Tobias além daquilo que o próprio Tobias quis que soubéssemos dele?;

  • Sentimo-nos quando nos dissipamos, quando desvanecemos. Mais do que nunca, é a dor que confirma a vida, e a imperfeição. Porque somos imperfeitos. Não estamos nas coisas - tentativa desesperada - mas são as coisas que, em microscópica medida, entram em contato conosco;

  • "Estará o mundo impregnado de nós, pois que nele nos perdemos?" - Sim, penso que sim. Ocupamos freneticamente todos os espaços do mundo, para que não sobre nenhum, pois no silêncio de uma única árvore, as almas perdidas sentem o peso de todo um deserto;

  • "Às vezes minhas mãos se reconhecem ou meu rosto gasto nelas tenta se abrigar. Isto me dá uma certa consciência de mim mesmo. Quem, no entanto, por tão pouco ousaria ser?" - Quero ser o contato entre minha mão e minha cara (não quero um plano externo de validações), quero ser a consciência do meu corpo e o respeito a ele. E isso não é pouco.

  • O segredo não seria este: desta mão amada, não receberei também certa consciência de mim mesmo? Esse contato abre uma porta que, às vezes, não conseguimos sozinhos. O ser humano (para vir-a-ser-humano) pode prescindir do amor?

  • Não evadiria o sentimento de amor porque nos embriagamos antes mesmo de pousarmos os lábios? Como com tudo, nossa pressa pelo futuro, quando este talvez nos reserve o azul, não o torna negro, quando efetivamente acontece? Não devo formular a impressão de seu lábio antes do toque. Devo lutar contra o futuro (um fantasma que não existe e que corrompe a vida).

Comentários

Maya disse…
que saudade do Sol, do calor do sol, dos anjos solares, homens solares, imperfeicoes solares, silencios e arvores solares.
Mao amada, rosto amado.
O futuro nao se obscurece por antecipacoes quando se conhece o que deseja. Jamais terei um sol escuro por imagina-lo e deseja-lo brilhante. Sua natureza eh luz, nao tenho qualquer poder de transforma-la.

Postagens mais visitadas deste blog

Cap. 68 - O Jogo da Amarelinha