Postagens

Mostrando postagens de Agosto, 2010

poema 34

Você passou pela minha vida
atravessando o outro lado da avenida

Fiquei sobressaltado:
seria a felicidade desfilando logo ao lado?

Não hesitei:
Bebi a breja de um só trago,
levantei apressado
derrubei um pingo na mesa ao lado
mas me ajeitei, ainda meio desajeitado

De pé, procurei você pelos lados
Vi um restinho do seu rabo de cavalo
azul, quase dourado
e disparei tresloucado

Corri, corri, corri, mas se chorei ou se sorri
o importante é que emoções eu vivi

poema 33

Fiz de minhas dores
minhas irmãs

Desfiz-me de meus amores
em plena manhã

Converti-me em caverna glacial
,escultura superficial
,solilóquios sem igual
,solitude radical

Au-Au-Au...
...é meu cachorro latindo ali fora aqui dentro

poema 32

Por trás de cada coisa bela
existiu um homem rangendo os dentes

Por trás de cada coisa bela
existiu um homem contando moedas

Por trás de cada coisa bela
existiu um homem destratando outro homem


Por detrás de cada coisa bela
sempre habita o feio

azul te quero amarelo

Imagem