Tonhão

Tonhão é segurança de uma balada para jovens. Ele é forte (mas isso todos eles são), usa óculos escuros e paletó preto (idem, idem). O que o torna diferente (de modo extremamente favorável à sua profissão) é sua proeminente corcunda, que quase coloca sua cabeça à frente do corpo e não acima, dando ao conjunto Tonhão um aspecto extremamente assustador. Mas mesmo Tonhão sendo um sujeito muito bom, nunca pode dar mostras dessa sua virtude porque ninguém nunca se aproxima dele. Há apenas uma coisa boa nisso tudo e Tonhão já a percebeu desde o início de sua carreira. Nunca teve coragem de matar uma mosca sequer e tem medo de baratas. Hoje é dia de punk-rock na casa. Nesses dias, Tonhão fica muito tenso, mas é daí que entra aquele lado bom: o medo prévio que todos parecem sentir dele mantém tudo em ordem. Tonhão não saberia o que fazer se tivesse de separar uma briga dos jovens. Muitos deles usam acessórios cortantes, com pedaços de ferro, ou arame (ele se lembra de ter visto alguns com pontas muito afiadas). Tonhão também tem medo. A reciprocidade do sentimento garante o equilíbrio do local. Graças à corcunda de Tonhão, todos bebem em paz e voltam seguros para suas casas.

Comentários

Nataly Callai. disse…
ô sr brabeza,
tens um casaco pra escrever bonito também?
ti disse…
tristeza de uns felicidade de outros?!
Gustavo disse…
esses jovens punks são mesmo perigosos. o tonhão tem razão em ter medo deles.

Postagens mais visitadas deste blog

Cap. 68 - O Jogo da Amarelinha