poema 2

- ela
tão bonita ao lado
dele
linda como um de seus
belos versos de
poeta

- ele
servia tão bem ao lado
dela
evocava, em sua condição de poeta
a força criadora de sua fulgurante
beleza

convergiam feito dois riachos a um
mar

o verso serve ao poeta
o homem serve à mulher

separados são tão pobres
separados, resta-lhes a companhia de seus corações
mesquinhos
e a consciência pesada da frenética busca por
espelhos

Comentários

.luísa pollo disse…
"frenética busca por espelhos"
isso é uma verdade que todos enfrentam.

Postagens mais visitadas deste blog

Cap. 68 - O Jogo da Amarelinha